Nick & Norah – Uma Noite de Amor e Música (Peter Sollett, 2008)

Por que Nick & Norah – Uma Noite de Amor e Música é superior a quase todos os outros milhões de filmes com “sensibilidade indie” que aportaram por aqui nos últimos anos? (A mesma sensibilidade indie que pode ser sentida nos filmes de Todd Solondz, Alexander Payne, Miranda July, em certa medida Wes Anderson e não vou citar mais nomes para não parecer tão genérico quanto na minha crítica de Pequena Miss Sunshine).

Porque, assim como nos melhores momentos do também bacana Juno (não por acaso, aqueles nos quais Michael Cera está em cena) essa sensibilidade não é transformada em atestado de bom-gosto, em certificado de inteligência, em diploma de esperteza. É sensibilidade e ponto.

Nick & Norah assume seu perfil de comédia romântica sem olhadas para a câmera, sem paródia nem gracinhas, encarando de peito aberto todos os clichês do gênero. A única coisa que o difere em termos de estrutura, digamos, de Um Amor em Jogo (para ficarmos em uma das melhores dos últimos anos) é que os protagonistas são um nerd bacana e uma garota comum, a história se passa nos clubes undergrounds nova-iorquinos e os coadjuvantes cômicos são uma banda de queercore.

Ao mesmo tempo, essas pequenas diferenças são, naturalmente, o diferencial da obra. Da trilha sonora bacana (tem Grizzly Bear, Vampire Weekend, We Are Scientists, Devendra fazendo ponta) à mudança de ambiente dentro de uma cidade tão conhecida, passando pelas raras mas inventivas soluções visuais e chegando, principalmente, à naturalidade e espontaneidade com que as piadas e momentos românticos são retratados pelo casal principal, tudo parece muito próximo dessa vivência jovem que o filme aborda. 

Há uma cena em Juno (possivelmente a melhor delas), na qual a Ellen Page, ao declarar seu amor pelo Michael Cera, diz que o gosta nele é seu jeito bacana, carinhoso e solícito, e que ele consegue tudo isso sem nem mesmo tentar. De bate-pronto, quase sendo interrompido, Cera responde que “na verdade, ele se esforça bastante para isso”.

Pois Nick & Norah é um filme bacana, carinhoso e solícito que parece nem mesmo tentar. Ainda que talvez se esforce bastante para isso…

E Michael Cera, depois de Juno, Superbad e esse (há alguns que incluirão Arrested Development nessa lista) se confirma como um dos principais atores dessa nova geração, mesmo que só possa fazer um papel.

Anúncios

Uma resposta to “Nick & Norah – Uma Noite de Amor e Música (Peter Sollett, 2008)”

  1. Filipe Furtado Says:

    O filme é bem legal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: