Archive for the ‘Academia’ Category

A Magia do Cinema Pt. 1

13 janeiro 2009

Ou: da época em que Os Simpsons era bom.

Quando eu era um jovem estudante de cinema entusiasmado e começava a pensar em minha monografia, só tinha uma certeza, influenciada pelo período diário em frente à televisão entre às oito e nove da noite na FOX: queria escrever sobre Os Simpsons.

Depois eu virei um velho estudante de cinema ranzinza, passei a escrever pra Contracampo, e a monografia foi deixando de ser divertida e passou a ganhar palavras e mais palavras pomposas. No fim, o que era para ser um trabalho pequeno e engraçado sobre por que o Homer é o gênio de toda uma geração acabou levando o título de “Novas Configurações Estéticas e Narrativas no Cinema Americano Contemporâneo” (e isso só porque o “de Grandes Estúdios” que se seguiria no fim foi suprimido por falta de espaço na página).

Pois hoje, enquanto zapeava pela televisão à busca de um Family Guy (os Simpsons dos anos 2000), eis que encontro na FOX um de meus episódios favoritos do melhor desenho animado de todos os tempos.

Em resumo, um filme de super-herói hollywoodiano irá ser filmado em Springfield e Milhouse (o melhor amigo do Bart) é escolhido para interpretar o fiel escudeiro do velho herói.

Duas tiradas:

A primeira acontece no meio do episódio. Um bando de crianças encontra, no meio do set, vários cavalos pintados como vacas. Eles perguntam para os técnicos a razão disso.

A resposta é que no cinema nada é o que parece, então para mostrar um grupo de vacas, eles precisam pintar cavalos.

Então uma das crianças pergunta: – Mas e pra mostrar um cavalo?

– Ah, é só juntar um grupo de gatos.

Segunda:

No meio do episódio o Milhouse foge do set, decidido a desistir de sua carreira de ator. Bart então o encontra e tenta demovê-lo de sua decisão.

– Mas Milhouse, você está no cinema, você é um herói.

– Não, Bart, eu não sou um herói. Descobri que os verdadeiros heróis estão longe daqui, muito longe…

E Bart, após um tempo pensativo, concorda, com os olhos brilhando de certeza:

– Tem razão, na televisão!

Certas horas, me parece claro que eu fiz minha monografia sobre o tema errado…